Professor, filósofo, escritor e conferencista, Mario Sergio Cortella tem viajado pelo Brasil orientando empresários e gestores sobre os desafios da liderança. Com uma capacidade extraordinária de analisar temas do momento sob diversos pontos de vista, do econômico ao social, passando pela história, cultura e por sua própria experiência de vida, ele cativa todos que assistem suas palestras também pela visão crítica inteligente e bom humor.

Para Cortella, a principal virtude que empreendedores e líderes devem ter para enfrentar o momento atual é a coragem. Mas coragem, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não significa “falta de medo”, mas sim a capacidade de “enfrentar o medo” com arrojo, perseverança, tenacidade, determinação e ousadia.

Empresários confiantes demais acabam não se preparando devidamente para as dificuldades que vão enfrentar. Fecham-se às novidades, tendências e mudanças que estão ocorrendo e consideram que só o que aprenderam no passado é suficiente para ajudá-los. Quem trabalha no setor há 20 ou 30 anos e acha que já viu de tudo perde a capacidade de se renovar e se adaptar. Por consequência, perde a capacidade de liderar sua organização em um mundo de mudanças constantes.

Outro alerta para os líderes de gestores é em relação à “síndrome do possível”. “Se você estiver na mesa de cirurgia entre a vida e a morte, vai confiar no cirurgião que se limita a dizer vou fazer o melhor possível?”, questiona. “Quem se contenta em fazer somente o possível cai na mediocridade.”

Na sua avaliação, o possível não pode ser o ponto de chegada, mas de partida. Nesse aspecto, os americanos tem uma definição muito melhor para a situação: I will do my best. “Líderes não podem se limitar a fazer o possível, devem fazer o seu melhor dentro das condições atuais e enquanto não podem fazer melhor ainda, motivam sua equipe a fazer o mesmo”, destaca.

Além da coragem e da superação, Mario Sergio Cortella também acrescenta outras cinco qualidades pessoais fundamentais para a liderança:

1 – Abrir a mente: Não se fechar para aquilo que não conhece, buscar se atualizar constantemente e “entrar no mundo das novas gerações” para entender os valores, interesses e pontos de vista dos seus colaboradores, colegas e gestores.

2 – Elevar a equipe: Compreender que o que é melhor para si depende do que é melhor também para os outros. É buscar não apenas o seu crescimento pessoal e profissional, mas também o de sua equipe.

3 – Inovar a obra: Buscar sempre o novo para acompanhar o ritmo das mudanças. Fomentar esse ambiente dentro da empresa é fundamental para criar novas ideias, conceitos, processos, produtos e serviços.

4 – “Recrear” o espírito: manter a alegria no que faz.

5 – Empreender o futuro: Desenvolver a “esperança ativa”, ou seja, agir para concretizar o futuro que se espera que aconteça.

Quer saber se você e sua equipe estão preparados para enfrentar os desafios do cenário de crise? Clique aqui e solicite o diagnóstico de negócios gratuito. Nossa equipe, com mais de 20 anos de experiência em consultoria, fará uma análise prática para aumentar o desempenho e os resultados dos seus negócios.

OSM-86